05 novembro, 2017

Talismãs

Uma Geração. Todas as Decisões

                                                                                              

Mas tudo tem verso e reverso; tudo, no Universo, tem seu preço. Na Terra, Um, não fazia sentido. Não havia Um. Havia vários. Eles chegavam com seus sobreviventes, suas lágrimas, sua revolta e seus desespero; a Terra os recebia e consolava. 


Cada vez que leio o início de Talismãs me emociono, uma emoção que engradece e inunda o meu ser pela profundidade do conteúdo.

São palavras simples, em uma redação única que o perceber do conteúdo cabe ao leitor. Ler além das linhas escritas, além do direcionado pela autora, ler a vida, ler o mundo.

Em poucos parágrafos, para os atentos, logo perceberão que a narrativa apesar de fantasia mostra o que ocorre na atualidade, uma analogia de tudo o que vivemos, de toda bagunça, reboliço em que se encontra nosso mundo.

A primeira vez chorei, pensei, “ah, isso é apenas por ter sido a primeira vez”, da segunda vez, “chorei”, e isso ocorreu nas treze vezes que o li durante esse ano que se passou, Talismãs me fez companhia!

Li muitos comentários sobre o que pensam a respeito dos livros da escritora, alguns elogios, outros nem tanto assim, muitos acham que só tem felicidade, tudo muito certinho. Será que estamos acostumados tanto assim com tudo desorganizado que ao depararmos com algo que tende a chegar a ajustar e dar equilíbrio nas coisas achamos muito correto? Ou estamos acostumados com tamanho desequilíbrio que o equilíbrio causa estranheza? Fico a questionar.

Aos que pararam de sonhar: “começamos a morrer quando paramos de sonhar”. Aos que sonham: “precisamos viver a realidade também”. Tudo deve ser na linha estreita daquilo que nos leva a temperança, ao respeito, a grandeza de nossas vidas de vivermos nos amando e não nos matando.
Sei que o leitor pode pensar que os jovens personagens de Talismãs atuam como adultos, mais do que os seus pais, há uma inversão de ações e personalidade muitas vezes.

Acredite, essa inversão proposital da autora tem um motivo, não descobriu ainda? Não descobriu o alerta que emite aos seus leitores na escrita? Vocês serão pais um dia, então ouçam seus filhos, os tratem como seres pensantes e que podem ajudar, não como crianças eternas errantes pela vida. Deixe-os crescer! Porque acham o crescente índice de suicídio entre jovens? Hoje nada podem fazer de útil, tudo o que um jovem quer é ser útil! Vocês leram isso? Viram como Peter mostrou isso?

- Estou cansado de ser tratado como um pirralho retardado. - Os olhos Krilin do rapaz chisparam, frios. - Avisei que era importante. Se tivessem me deixado terminar a frase, eu teria dito. Mas me recuso a sair gritando palavras-chave atrás de gente que não quer me ouvir. 

Peg ao avistar alguém sorridente, um triste, um quieto, um compassivo, mostra aqueles ao seu redor que a capa externa não há relação com o âmago da pessoa. Pessoas são mundos dentro de mundos e para entrar entre a falha entre esses mundos interiores só se entra com amor, tolerância, paciência.
Todos os personagens cresceram nesse livro, estão dando um baile em adultos que os subestimam, e mostram um caminho de diálogo, não de revolta. O bom é isso, a autora mostra que há outras formas de resolver problemas, não criando outros problemas, não se tornando problemático e sim dialogando! Não é isso que falta no nosso mundo?

- ... Quando a gente gosta de verdade de alguém, não prende essa pessoa. Livre, ela é muito mais bonita! 

Em Cisne tivemos descobertas, linhagens tivemos ação, Talismãs temos crescimento, no próximo....
Ela – a autora – tem conseguido manter o desenvolvimento cronológico da escrita com uma diversidade incrível de assuntos. Afinal, uma série de fantasia inserida em um ambiente interestelar com mitologia fincada em acontecimentos atuais de relações interpessoais, sociais e familiares traz infinitas oportunidades de desvio do assunto central. A ameaça gerada devido a Terra ter recebido mundos e direcionado o seu poder para agregar todos os que chegaram tornou-se em uma avalanche, isso mesmo, não é uma tempestade como todos os adultos pensavam, algo incalculavelmente maior do que esperavam vem a seguir.


- Normal? - O sorriso de Ric se ampliou. - Quantas pessoas normais conseguem conviver com vocês? Até esse repórter parece ter caído de outro mundo! - Eu sou deste mundo mesmo - assegurou Jean. - Porque? De que mundo você caiu? 

A Terra está por um fio, o sistema mental não aguenta mais tanta guerra, tanta intriga e em algum momento seu campo mental ruirá. Por isso está ocorrendo a reunião de pessoas que poderão ser capazes de fazer algo. Tudo vai terminar bem? Não sei.

Amantes de gatos, leiam: há um gato, o Pierre, ele é louco, faz atrocidades, tem vontade própria, e odeia garotos, mas ama meninas. Pensa como ele vai agir dentro de uma escola com pessoas dotadas de incríveis poderes e inteligência? Ri muito com a presença de espírito do felino e sua dona!
O livro inicia de onde terminou Linhagens e termina em um ponto que deixa qualquer um querendo saber como os adultos procederão depois de tanta informação e do ocorrido no final. Fiquei pasma com o crescimento do Peter, apesar de não ser um dos personagens que mais gosto, sempre o achei muito egoísta, mas ele mostrou nesse livro que possui um bom coração.

São inúmeros personagens, mas Tim me surpreendeu, não pensei que ele fosse tão duro, tão teimoso e preconceituoso. Creio que ele levou uma boa lição a respeito de tudo isso. Amei a forma de Tom ser, ele apareceu mais nessa história, e espero o que vem ai para Liss, a pequena da família. Louca para ver a chegada de Bert e como vai ser com Bob, tento ver com antecedência a reação dele.

Estou domando minha expectativa, minha ansiedade, mostrando a elas que tudo sucederá de forma paulatina, nessa série não vai adiantar gritos, pedidos, súplicas ou ameaças de morte contra a autora para que escreva o próximo, pois sempre terá o posterior desejado e assim por diante, até terminar. E quando terminar ainda vou olhar e dizer, faça outros! Uma exigência.

Vou sentir muita saudade do Cisne, realmente vão ficar fora do oceano? Saudade dos golfinhos e baleias.

Próximo livro, uma mudança grande no cenário, personagens e situações. O que está preparado para os leitores só Deus e a autora sabe!


- ... Apesar de tudo que tumultuo por aí, aprendi muito bem as lições sobre responsabilidade. É como eu disse antes: concordo em ser criticado por todos os defeitos que tenho, e que são muitos, eu sei. Mas um defeito que eu Não tenho é empurrar responsabilidade adiante. se eu fiz, eu assumo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vai ser muito bom saber o que você achou dessa postagem!
Opine!