08 abril, 2017

Come, meu filho




Quem tem filho ou convive com crianças pequenas, sabe que quando chega a hora de comer é uma verdadeira batalha.



E feijão parece ser o grande vilão dessa turminha que sai excluindo o que gosta e o que não gosta (é rotativo os gostos), somente pela aparência, é  claro.
E um tal de não comi e não gostei e as mães têm que rebolar para não verem seus filhos desnutridos rs.



É neste clima de mãe e filho que acontece a narrativa de Come , meu filho. 
Mas é claro que o caminho escolhido nunca é o mais óbvio. A mãe aqui, discorre sobre a aparência das coisas nunca parecerem elas mesmas. Como se elas possuíssem uma segunda pele, uma outra identidade invisível para os não observadores. E a palavra é insuficiente na tarefa de explicar de forma exata a coisa em questão.




O mundo parece chato mas eu sei que não é. Sabe por que parece chato? Porque, sempre que a gente olha, o céu está em cima, nunca está embaixo, nunca está de lado. Eu sei que o mundo é redondo porque disseram, mas só ia parecer redondo se a gente olhasse e às vezes o céu estivesse lá embaixo. Eu sei que é redondo, mas para mim é chato, mas Ronaldo só sabe que o mundo é redondo, para ele não parece chato



E em oposição temos a criança que ainda acredita de forma cega nas palavras como contendo a mais pura das verdades.




Na Sorveteria Gatão o sorvete é bom porque tem gosto igual da cor



E ela inicia sua observação como alguém muito viajada e que pode certamente comparar o céu brasileiro com os de outros países visitados por ela. Uma brisa eu sei, mas leia, é uma doidera boa. 



Leia as impressões da Silvia sobre este conto - No Reflexões de Silvia




*Este conto pertence ao livro - Felicidade Clandestina






Clarice Lispector - Todos os Contos
       Editora Rocco - Capa Dura - 656 Pgs
        Organizado por Benjamin Moser

                   
                    Marcia Cogitare






12 comentários:

  1. Respostas
    1. Silvia, sabe que também curti este continho.

      Hug

      Excluir
  2. Marcia!
    Passarei por lá para ler o conto, porque Clarice é sempre inspiradora.
    Luta mesmo fazer os pequenos comerem de forma saudável...
    Desejo um ótimo final de semana!
    “ O amor é a sabedoria dos loucos e a loucura dos sábios.” (Samuel Johnson)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP COMENTARISTA ABRIL especial de aniversário, serão 6 ganhadores, não fique de fora!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rudy, Clarice é mesmo incrível sempre.

      E que bom que vc voltou.

      Hug

      Excluir
  3. Olá, realmente é preciso pulso firme para lidar com crianças e garantir que elas fiquem bem nutridas, o conto vai ser muito útil para quem se encontra nesta situação. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Alison, crianças na hora de comer sempre é uma situação tensa rs

      Hug

      Excluir
  4. E quando não temos problemas para fazer uma criança ter uma alimentação saudável? Minha filha e meu neto de 6 anos moram comigo e desde novinho come de tudo. Pensa numa criança que gosta de quiabo, brócolis, couve-flor e principalmente chuchu. Come feijão, lentilha, grão de bico (a historinha da família do feijão deu certo) e tudo o mais que puser em seu prato. Mas sei como é difícil tentar fazer uma criança comer bem e saudável. Acho que dei sorte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sueli, você tem muita sorte mesmo.
      E parabéns pela suas crianças serem tão saudáveis , é realmente complicado conseguir que eles comam verduras e legumes.

      Continue nos acompanhando no projeto de lermos todos os contos de Clarice Lispector.

      Hug :D

      Excluir
  5. Oi Márcia, incrível como a Clarice sempre consegue fazer uma relação filosófica com os fatos mais simples da vida. Ela era muito genial para conseguir ter essas ideias assim, cada vez mais fico admirada com o trabalho dela. Beijinhos

    ResponderExcluir
  6. Jade, Clarice era incrível, uma observadora feroz. Nada passava impone diante de seu filtro filosófico.

    Hug :D

    ResponderExcluir
  7. Oi.
    Não tenho filhos, mas já assisti a muitas situações com crianças de amigas e familiares. Sempre é uma verdadeira batalha na hora de comer.
    E esse conto é perfeito e inteligente, como a escrita dessa autora. Uma verdadeira inspiração! Estou adorando esses posts!
    Parabéns.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI Márcia, criança é tudo meio parecida na hora de comer né. Tenho uma sobrinha que tá nessa fase de ser um sufoco pra comer comida.

      Clarice contempla o dia a dia mais comum. Gosto dessa simplicidade.

      Hug :D

      Excluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

Vai ser muito bom saber o que você achou dessa postagem!
Opine!